TIC e Inovação pedagógica

TIC e Inovação pedagógica

O que é inovação pedagógica?

A inovação pedagógica, neste trabalho, está relacionada com as práticas pedagógicas que definem a relação entre as pessoas que integram este processo, nomeadamente quem aprende e quem ensina. E, para que seja possível haver inovação pedagógica é necessário que existam 3 bases: aprendizagem, autonomia e colaboração. Estas práticas devem de ter como base as mudanças de paradigma e estudos sobre a educação, sendo que o seu destaque está na aprendizagem. Ou seja, para que haja inovação pedagógica, é necessário que as culturas de ensino sofram mudanças, fazendo com que sejam tomadas decisões e consequentemente trocas de experiências.

Como é que as T.I.C potenciam a inovação pedagógica?

É importante salientar que a inovação pedagógica não é sinónimo de inovação tecnológica. Esta consiste em 3 estágios: ideia criativa; aplicação prática e, por fim, a sua difusão através da sociedade. A tecnologia é tratada como uma ferramenta ou um auxiliar no que diz respeito aos processos de educação, uma vez que esta ajuda no armazenamento desse conhecimento. Assim, é necessário submete-la a um controlo rígido.

As tecnologias de última geração atuam como recursos transformadores da sociedade e, tal como já foi possível de constatar neste semestre, são capazes de modificar a maneira de como as pessoas pensam. As TIC são vistas, no que diz respeito à educação, como um recurso que é capaz de ajudar o aluno a refletir sobre várias temáticas dentro do conhecimento e da aprendizagem.

 A inovação é um processo diário, que tem a ver com as práticas pedagógicas adotadas. Em suma, a inovação pedagógica corta radicalmente com o tradicional (modo fabril).

Referências: LIMA, A.(2017). Projeto de Monitoria no Colégio Antares: produção de novos significados através da autonomia e colaraboração no processo de aprendizagem. Dissertação de mestrado. Universidade da Madeira

"Ensino Híbrido e a Sala de Aula Invertida: o aluno como protagonista do próprio aprendizado"

"O Ensino Híbrido, ou blended learning, é uma das maiores tendências da Educação do século 21, que combina o ensino presencial com o ensino online, integrando a Educação com a tecnologia, que já está presente na vida dos estudantes. Ele envolve a utilização das tecnologias com foco na personalização das ações de ensino e de aprendizagem, apresentando aos educadores formas de integrar tecnologias digitais ao currículo escolar. Além disso, essa abordagem apresenta práticas que integram o ambiente online e o presencial, permitindo com que os alunos aprendam mais e melhor, no seu ritmo. Segundo Julia Freeland Fisher, especialista em educação e uma das diretoras do Clayton Christensen Institute, entidade que estuda a inovação em diversos setores, o ensino híbrido é o futuro da educação. (...)"

http://educacao.estadao.com.br/blogs/colegio-prudente/ensino-hibrido-e-a-sala-de-aula-invertida-o-aluno-como-protagonista-do-proprio-aprendizado/

 

Comentário:

O Ensino Híbrido é uma das maiores tendências da Educação do século 21, visto que combina o ensino presencial com o ensino online. Tendo em conta este género de ensino e a temática da educação e da tecnologia, surgiu um termo designado de "sala de aula invertida" criada por professores norte-americanos de Química com o objetivo de que os alunos aprendam mais e melhor, ao seu próprio ritmo. Esta sala de aula invertida, baseia-se na inversão do processo de ensino tradicional, pois o material digital  é fornecido com antecedência pela escola, o aluno de seguida expõe o que compreendeu e tem a possibilidade de esclarecer qualquer tipo de dúvida, já o professor age como um orientador, possibilitando a construção de conhecimento de forma relevante para o aluno, tornando-o protagonista de todo este processo.

Neste tipo de aulas, os alunos têm uma grande autonomia para trabalharem os conteúdos em casa e faz com que os pais possam fazer parte deste processo. Esta promove não só a partilha de informação para arranjarem soluções em conjunto, como também permite que os alunos aprendam mais e melhor, ao seu próprio ritmo. 

Em 2015, o Colégio Prudente de Moraes implementou esta metodologia e os professores perceberam que todos os alunos ficaram comprometidos e muito motivados com esta nova metodologia. 

Em 2018, o investimento destinou-se em grande parte ao ensino híbrido, sendo que foram adquiridos novos equipamentos para que este fosse possível e melhorado. 

 

Este blog pertence à Ana Carolina e à Ana Gorgulho e somos alunas do Primeiro ano da Licenciatura do Curso de Ciências da Educação, da Universidade da Madeira e temos como objetivo explorar a temática das "TIC e Educação", sendo que este blog será composto por diversos post's sobre a temática em questão e a sua influência no mundo.

Aconselhamos que visitem também o blog dos nossos colegas de curso:

   Lisandra Silva e Mara Camacho

http://cms.algumas-ideias-sobre-tic.webnode.pt/

 

Lisandra Almeida e Elsa Freire

https://www.facebook.com/aoritmodainovacao 

 

Carla Freitas e Mariana Mendes

http://ticeducacaouma.wordpress.com

 

Paulo Caires e Paulo Ornelas

https://cagarradaselvagens.blogspot.pt/

 

Analita Freitas e Beatriz Henriques

 https://analitaebeatriz.wixsite.com/site/blog/

 

Laura Silva e Diva Freitas

https://educacaosecxxi.tumblr.com/

 

Alexandra Sousa e Margarida Nóbrega

https://tic-educacao-2018.blogspot.pt/ 

 

Sara Miguel e Agostinho Silva

https://m.facebook.com/Ticeducacaosaraeagostinho/

 

Carlota Coelho e Ana Ramos

https://www.facebook.com/Arte-Da-Tecnologia-163878620930406

 

Daniela Viveiros e Hugo Freitas

https://educacaonumblog.blogspot.pt

 

Guillermo Ogalla Flores e Álvaro Bellido bolaños

Blog: http://abbalvaro.wixsite.com/meusite/blog/

 

Bruna Pereira e Ana Serrão

Podcasts

https://soundcloud.com/descontinuidades

 

Docente Paulo Brazão:

 

https://www.jpaulobrazao.com/descontinuidades

Seminário "Aprendizagem, TIC e redes digitais"

05/03/2018

"O Projeto Minerva, que decorreu entre 1985 e 1994, constituiu o primeiro e mais amplo projeto alguma vez realizado em Portugal na área das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), envolvendo escolas de todos os níveis de ensino, institutos politécnicos e universidades, na promoção da utilização do computador como uma ferramenta educacional. Com um percurso de trinta anos no sistema educativo português, as TIC continuam a ser um desafio permanente, quer pelo surgimento de novas plataformas, aplicações ou dispositivos móveis, quer pela discussão sobre as suas vantagens e formas de operacionalizar e mobilizar estratégias para a sua utilização, como verdadeiras ferramentas de aprendizagem.


Os projetos, programas e iniciativas que têm sido implementados nas últimas décadas, nacional e internacionalmente, destacam a importância cada vez maior da utilização das TIC em contexto educativo com o objetivo fundamental de inovar as práticas, tornando-as mais atuais e, sobretudo, que tenham uma influência positiva relevante nas aprendizagens dos alunos.

O desenvolvimento de projetos inovadores centrados na promoção e aquisição de competências digitais potenciam a melhoria das qualificações dos cidadãos nas e para as TIC, contribuindo para uma sociedade digital mais inclusiva e reduzindo as desigualdades, de forma a promover uma participação mais autónoma. O ensino da computação e da linguagem de programação gráfica, desde os primeiros anos de escolaridade, ajudam a desenvolver o pensamento criativo, a literacia digital e a adquirir conceitos matemáticos e computacionais.

A discussão em torno da temática abrange diversas dimensões: histórica, axiológica, escolar, curricular, didática, contextos de aprendizagem e formação de professores, nas quais intervêm questões como a igualdade de oportunidades e a inclusão, a literacia digital, a segurança, a utilização das TIC nas diferentes disciplinas, estilos de aprendizagem e estilos de ensino, gestão e sustentabilidade das tecnologias nas escolas. (...)"

 

http://www.cnedu.pt/pt/iniciativas/seminarios-e-conferencias/1106-seminario-aprendizagem-tic-e-redes-digitais

 

Comentário:  

De acordo com o nosso ponto de vista, o ser humano, animal racional, é cada vez mais exposto às novas tecnologias. Atualmente, estas têm uma grande influência para a aprendizagem e a níveis sociais do mesmo. Podemos constatar que as tecnologias são utilizadas por grande parte da população mundial, principalmente,  a nível cultural e social, uma vez que, por exemplo, as redes sociais são as formas mais criativas e fáceis de comunicar entre amigos, conhecidos, familiares, entre outros. É com a criação do facebook, instagram e twitter que muitos de nós conseguimos partilhar e comentar publicações. Essas mesmas tecnologias são uma forma de ganhar conhecimento e de facilitação a resolver certas tarefas diárias. A comunicação e a divulgação de informações são dois grandes fatores que melhoraram muito devido às TIC.

 A nível escolar podemos também dizer que é um recurso que envolve os jovens e os adultos, uma vez que a tecnologia está presente no nosso quotidiano e devemos de a utilizar para facilitar as nossas tarefas,  dado  que facilita a nossa aprendizagem, pois podem ser adotados métodos apelativos, simples e rápidos,  para que consigamos perceber melhor e dessa forma obter um melhor aproveitamento a nível escolar.

A nível profissional, por exemplo, no caso dos professores, o desenvolvimento tecnológico tem de ser acompanhado pelos mesmos, uma vez que facilita não só o seu trabalho, como também o dos alunos.

 Um exemplo de uma ferramenta que utilizamos todos os dias é  o google, dado que é utilizado por todos os indivíduos que recorrem à Internet para obterem determinadas informações. 

Para concluir, as TIC são realmente uma inovação que envolve cada vez mais o ser humano. Desde imagens, a vídeos e a publicações, são uma fonte de informação  de fácil utilização.

"TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS: ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS EM SALA DE AULA"

05/03/2018

"(…)

A globalização é um fenômeno que possibilitou ao homem o desenvolvimento em inúmeros aspectos, dentre estes, a evolução da tecnologia, que vem auxiliando-o, por exemplo, na formação educacional. Os avanços tecnológicos que permeiam a educação vêm transformar as formas de trabalho pedagógico, ampliando o surgimento de novas competências e metodologias de ensino. Neste contexto, é importante ressaltar que as tecnologias educacionais não substituem o professor, mas o auxiliam em suas aulas, como o caso de materiais on-line, vídeos, jogos, softwares, entre outros que promovem o compartilhamento de conhecimento e a autonomia dos alunos.

(…)

Tecnologia e Educação: Avanços na aprendizagem em sala de aula O avanço tecnológico nas últimas décadas possibilitou o processo de criação e inovação do conhecimento onde as TICs contribuíram de forma significativa para a ampliação do saber da sociedade contemporânea, onde o processo do conhecimento possibilitado pelas tecnologias contribuiu para a ampliação do saber humano - em todas as áreas científicas (SILVA, 2010). Diante desta realidade, cabe à escola e aos professores, buscarem novas práticas pedagógicas, para tornar o ensino mais eficaz em sala de aula, como se refere Coutinho (2011), onde “a escola e os seus agentes têm de mudar os métodos e técnicas de ensino e pensar em formas eficientes e eficazes para preparar os estudantes para a sociedade do conhecimento”.

(…)

 

Tecnologias em sala de aula Segundo Querte (2004), a formação dos professores ao longo dos anos vem se modificando e essas mudanças estão cada vez mais constantes na sociedade a partir do momento em que as tecnologias começam a fazer parte do dia a dia da população e principalmente na área educacional.

(…)

 

A partir dessas mudanças o homem vem desenvolvendo cada vez mais novas tecnologias para auxilio do seu cotidiano. No quesito educacional é possível destacar vários meios em que a tecnologia pode ser trabalhada em sala de aula pelo professor com o aluno. Dentre estes destacam-se alguns como: Web com plataforma; Redes sociais; Blogs; Podcast; Webquest; Ferramentas online; TV Pendrive; E-mail; Comunicadores; Produção audiovisual; Fotolog; Processador de textos e Jogos. Estas são algumas das ferramentas que podem ser utilizadas pelo professor com seus alunos, para melhorar o processo metodológico em sala de aula com os alunos, fazendo com que ocorra inclusive uma melhor interação dos mesmos, fazendo com que aumente o interesse do aluno com as informações transmitidas em sala (SEABRA, 1995; MORAN, 2009.

(…)

 

Tabela 1 – Aspectos positivos e negativos das TICs no âmbito educacional ASPECTOS POSIVOS ASPECTOS NEGATIVOS.

Aspetos positivos: Permite que o professor mostre várias formas de captar e mostrar o mesmo objeto, representando-o sob ângulos e meios diferentes: pelos movimentos, cenários, sons, integrando o racional e o afetivo, o dedutivo e indutivo; facilita a motivação dos alunos, pela novidade e pelas possibilidades inesgotáveis de pesquisa; O professor consegue com que o aluno desenvolva a aprendizagem cooperativa, a pesquisa em grupo, a troca de resultados. A interação bem sucedida aumenta a aprendizagem; Emerge uma necessidade de formação continuada para os professores. Como forma de apoio aos professores, para que possam não apenas receber um novo recurso na escola, mas poder também conhecer suas potencialidades e utilizá-las para que o processo de ensino e aprendizagem; Oferece meios de atualizar rapidamente o conhecimento, estender os espaços educacionais, ampliar oportunidades onde os recursos são escassos; Na desigual intimidade que os alunos e professores demonstram pelas TICs, pode se haver um efeito benéfico, pois a cada professor entusiasmado em aprender e fazer diferente podem associar-se alunos mais colaborativos e solidários; A oportunidade de estar em contato, ainda que virtual, com comunidades de outros estados ou até mesmo país, pode facilitar os jovens a entender e aceitar realidades, culturas e modo de viver diferentes dos seus; Mudar a ênfase de um currículo formal e impessoal para exploração viva e empolgada por parte dos estudantes.

Aspetos negativos: Há facilidade de dispersão. Muitos alunos se perdem no emaranhado de possibilidades de navegação. Não procuram o que está combinado deixando-se arrastar para áreas de interesse pessoal; Necessita-se de uma forte dose de atenção do professor, pois diante de tantas possibilidades de busca, a própria navegação se torna mais sedutora do que o necessário trabalho de interpretação; Em alguns casos há uma competição excessiva, monopólio de determinados alunos sobre o grupo, fazendo se necessário uma maior atenção pelo professor para esses casos; O computador não é por si mesmo portado de inovação nem fonte de uma nova dinâmica do sistema educativo. Poderá servir e perpetuar com eficácia sistemas de ensino obsoletos. Poderá ser um instrumento vazio em termos pedagógicos que valoriza a forma obscurece o conteúdo e ignora processos; Alguns docentes apontam as tecnologias educacionais, como gerador de algum mal-estar, como o medo de sua substituição pela máquina; Os docentes acham que têm pouco tempo para capacitação e atualização, para a utilização das tecnologias educacionais dentro de sala de aula; Alguns docentes acreditam que, utilizando as tecnologias nas suas aulas, eles podem perder o controle da situação, já que os estudantes podem ter acesso prévio ao material a ser estudado; A grande dificuldade do docente é a reconstrução da sua prática pedagógica, principalmente quando os pressupostos educacionais que orientam o uso do computador são diferentes da concepção de ensino e de aprendizagem do partilhado na escola.

Fonte: (Barreto, 2004; Moran 2007; Moran, 2009; Papert, 1994; Querte, 2004; Santos, 2004).

(…)"

Link: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2013/7646_6015.pdf

 

Comentário: Tendo em conta a análise deste texto sobre os aspetos positivos e negativos das TIC na educação, concluímos que, no que diz respeito aos aspetos positivos, podemos destacar o facto desta ser veloz e abrangente, uma vez que podemos pesquisar qualquer tipo de informação que necessitemos em poucos instantes. Um outro aspeto positivo é a própria inovação, dado que, permite aos professores/ formadores inovarem nas formas de lecionarem as diferentes maneiras, proporcionando um maior dinamismo às aulas; outro aspeto é também o facto de poder haver interação, uma vez que o aluno pode navegar no conteúdo interagindo com o mesmo, como são os exemplos das enciclopédias digitais, dos jogos educacionais, entre outros; as TIC também ajudam a desenvolver a autonomia, uma vez que, normalmente, o uso do computador é individual, executando as tarefas pretendidas e se tiver dúvidas procurar na própria ferramenta tecnológica, através de pesquisas; outro aspeto é o facto de ser lúdico o uso das TIC, dado que podem estimular uma aprendizagem mais divertida.

No que diz respeito aos aspetos negativos, podemos perceber que a educação tendo o auxílio das TIC pode ser um pouco mais dispendiosa, uma vez que as escolas terão de possuir determinados equipamentos; há falta de privacidade, pois a informação passa a estar disponível a outras pessoas que estejam conectadas à rede; desenvolve também o individualismo, o que também não é muito bom, uma vez que vão deixar de haver tanta interação entre os alunos; um outro aspeto extremamente negativo é o isolamento, pois é o que costuma acontecer quando há uma grande dependência das tecnologias.

 

Concluindo, na nossa opinião, as TIC deveriam de estar mais presentes na educação, uma vez que estas promovem uma maior autonomia e ajuda-nos muito nas nossas tarefas académicas, dado que temos de estar sempre informados e temos de recorrer muitas vezes à internet para isso. No entanto, também achamos que o acesso às TIC tem de ser controlado, para que os alunos não se tornem dependentes das mesmas, pois também podemos recorrer a outros meios para obter informações, como é os exemplos dos jornais, das bibliotecas, entre outros.

O envolvimento dos pais na educação dos filhos

"O envolvimento dos pais na educaçao de seus filhos é de grande importância para o sucesso dos estudantes. Diante disso, promover a participaçao dos familiares nas mudanças a serem implementadas para a adoção da tecnologia em sala de aula é outro passo fundamental. Por meio de reuniões, notificações e uma comunicação aberta entre os pais e a escola, é possível que eles contribuam para a introdução da tecnologia, aumentem o engajamento dos filhos, ofereçam feedbacks enriquecedores e, mais importante, compreendam e apoiem a iniciativa."

Link: http://appprova.com.br/tecnologia-na-educacao-e-motivacao-em-sala/

Comentário: Atualmente, é deveras necessário um povo educado e instruído que saiba contribuir ativamente para a sociedade. Fazendo-a assim, evoluir positivamente e criativamente, quer a níveis económicos, sociais ou culturais. A cada dia que passa é, possível constatar uma relação entre a educação e a tecnologia. Sendo que, a tecnologia contribui para o ser humano adquirir o conhecimento de uma forma rápida e eficaz. Todavia, esta relação cada vez mais é posta em causa.  Qual será o ponto de vista dos  pais, num mundo que é dominado em grande parte pela tecnologia,  que os seus filhos não tenham o acesso à internet ou até pelo contrário, que tenham acesso ilimitado, durante o período escolar? Quais os prós e contras que apontam estes pais? A tecnologia como é possível verificar, é usada por grande parte da população mundial. População que contribui ativamente para a sociedade em que se encontra inserida. Por um lado, a educação recorre à tecnologia dado que esta é rapida, eficaz e esclarecedora. Os jovens e crianças, atualmente, conseguem aceder a um livro, a uma entrevista, a uma pesquisa ou até mesmo a presenciarem aulas mais dinamicas, mais rapidamente do que as geraçoes anteriores. Isto, evidentemente, faz com que consigam captar mais informação. Informação que poderá ajudar o jovem/criança a aprender diversas temáticas num espaço de tempo mais curto. A verdade é que  a tecnologia facilita a educação e a aprendizagem. Todavia, como tudo o que é tema de debate, há prós e contras. Os contras desta relação é que o mundo em si encontra-se cada vez mais maquinizado, a relação entre pais e filhos sofrerá uma mudança: o acesso à tecnologia reduzirá cada vez mais as suas relações e interações pessoaisNa educação, se os estudantes começarem a usar computadores, talvez se esqueçam ou percam as suas capacidades de imaginar ou até mesmo de como escrever. E isto é uma realidade triste. O ser humano cada vez mais depende destas tecnologias. E tudo porque quer e tem de acompanhar este avanço tecnológico. Em suma, a educação tem uma forte ligação com a tecnologia, uma ligação importante e pragmática, contudo deverá ter em atenção que não poderá ser tao dependente dessa mesma relação para sobreviver.

 

Sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar seu próprio texto e editar-me. Sou um ótimo local para contar a sua história e deixar que seus visitantes saibam um pouco mais sobre você.